sexta-feira, 21 de maio de 2010

Era pra ser apenas uma sinuca

Essa história poderia ser legal, se não fosse tão trágica e traumática...
Era um sábado... quase noite, msn fraquíssimo, nenhuma programação, nada de legal acontecendo na cidade, então pisca uma janela do msn:

Era um cara que eu conheci há uns 2 anos atras, gente boa, nunca deu em cima de mim (ponto pra ele) e bem... não sabia de minha opção!
Quando abri a janelinha:

Breno diz: E ai gata, quanto tempo!

Bê diz: Ei, bastante tempo mesmo, o que você está arrumando?

Breno: ah gata, nada e você? qual o lance hoje?

Bê: bem, nada e por aí?

Breno: ah, bora tomar uma então... jogar uma sinuquinha!

(Pensei, pensei... não havia nada de mal não é? afinal de contas ele nunca deu em cima de mim, era meu amigueeenho!)

Bê: Vamos sim.

(Combinamos e ele me pegou na minha casa!)

Tudo corria muito bem, conversamos bastante... jogamos sinuca, rimos, comemos, bebemos... eu estava super feliz, tinha um homem hétero na terra que eu poderia sair pra conversar, comer, beber, jogar sinuca e não daria em cima de mim...

Minha felicidade não durou muito, ele disse: 'vou ao banheiro, já volto gata!'

Fiquei alí, sentada próxima à sinuca com o taco em uma mão, minha caipirinha em outra... esperando ele voltar, olhando para a sinuca e até pensando em trapacear, colocar uma bola ou duas minhas próximas à caçapa, antes que eu pudesse agir... vejo ele se aproximar...

Acho que o banheiro daquele bar tinha algum espirito do mal, o homem voltou possuido daquele banheiro, ele já chegou me pegando pelo cabelo, se jogando em cima de mim e me beijando, eu não sabia o que fazer... fiquei de todas as cores possíveis, tentei empurrar mas ele não se tocava, tentava falar mas ele não deixava, com aquela lingua de 2 metros, SIM... a lingua dele tinha mais ou menos isso de tamanho, estava eu alí sendo esmagada na parede com o taco entre nós dois (sem contar que também tinha outro taco que ainda bem eu não senti!) me bateu um grande desespero, já que não conseguia sair, tentei beijar pra ver se acabava aquele pesadelo logo... mas além de tudo ele beijava muito mal, na verdade era tipo um pirocoptero de lingua, a lingua dele fazia os movimentos do pirocoptero, eu mal senti a boca do sujeito... era só aquela lingua gigante se debatendo, parecendo que brigava com algo... com muito custo consegui desgrudar ele de mim e ainda tive que ouvir um: '...que beijo delicioso, gata!" e eu pensei: 'DELICIOSO? que beijo? onde? ele parecia mais que estava desenhando uma bola no ar, do que me beijando... que nojo!'
Perdi totalmente a concentração na sinuca, quis sair logo correndo dalí... ele vinha em minha direção eu ficava rodando a mesa correndo dele, fingindo que estava super concentrada no jogo, pensando em falar que ia no banheiro e fugir pela janela, eu não sabia o que era pior: a lingua dele ali de pirocoptero assassino ou pensar que todas aquelas pessoas que estavam proximas estavam olhando e rindo, porque CLARO que se eu tivesse perto eu iria rir, devia estar terrivel aquela cena, então falei que queria ir embora, saimos do barzinho e ele segurou a minha mão... (Imagina alguem passa e vê aquilo?) aproveitando que eu estava de salto, dei um pulinho pelo asfalto e desgrudei da mão dele, chegando do outro lado e dizendo "aí, meu salto agarra nesses blocos...", eu e ele ali, perto do carro dele... em uma esquina bem movimentada e clara, ele me pega de novo e já vai me empurrando pro muro de chapisco eu logo consegui sair dele e entrar correndo no carro... ele foi me deixar em casa e eu sabia que tinha que ter o beijo de "bye bye" ai meu Deus, eu com a mão já na maçaneta preparada pra pular até mesmo com o carro em movimento, ele para o carro e nem puxa o freio de mão, já me deu um puxão e começou de novo, ainda se não bastasse tava suspirando como se o clima tivesse ótimo, eu já não tolerando mais tentei dar aquele beijinho, estalinho de despedida, mas quando tentava eu dava o estalinho na lingua dele e ele nem percebia, depois de tentar essa tática pelo menos 4 vezes eu desisti e fiquei ali, parada... esperando ele acabar o pirocoptero e seu desenho no ar, quando ele acabou eu nem esperei ele falar nada, já dei um pulo pra fora do carro... 'beijo Breno, nos falamos depois...' e ele 'ta bem gata, me liga amanhã.. vamos fazer algo legal...' (Nem rendi assunto e prefiro nem imaginar o que seria ALGO LEGAL!) cheguei em casa correndo mais que tudo, entrei no banheiro e lavei minha boca e escovei meus dentes pelo menos 5 vezes, estava traumatizada com aquilo, nunca mais falei com ele!


E ainda tenho uma dúvida, o que aconteceu naquele banheiro?

Então fica a dica meninas, nada de sinuca e se ele falar que vai no banheiro... CORRE!


Beijinho geladinho pra vocês!

Bê.